Mistério na Teia (Cocoricó)

Vídeo da música “Mistério na Teia” (Hélio Ziskind, que era do sensacional Grupo Rumo nos anos 1970) do programa infantil Cocoricó, da TV Cultura (Brasil). Esse vídeo está no DVD “Baú do Faz de Conta”, e também é exibido na TV aberta.

Os personagens são Dito e Feito, vestidos de Sherlock Holmes.

A música conta a história do marimbondo-caçador, um tipo de marimbondo que coloca seu ovo em uma aranha. A larva ao nascer come a aranha viva, por dentro, evitando órgãos vitais e modificando seu comportamento (no exemplo específico, a aranha faz um ninho de teia para o casulo do marimbondo).
Esses marimbondos são da família Pompilidae, e nos Estados Unidos são conhecidos como spider wasps (vespas-de-aranha). Uma espécie famosa de lá é a Pepsis formosa, conhecida como tarantula hawk.


Pepsis também é o gênero dos marimbondos-caçadores encontrados no Brasil (segundo o dicionário Houaiss), mas não consegui descobrir a espécie exata que induz a aranha a fazer o ninho de teia; se alguém souber, por favor deixe um comentário!

Tags: , , , , , , ,

7 Responses to “Mistério na Teia (Cocoricó)”

  1. cachopo Says:

    Pepsis fabricius?…

  2. muriloq Says:

    Aparentemente _Pepsis fabricius_ é a espécie mais comum no Brasil (chamada de “marimbondo-cavalo” ou “marimbondo mata-cavalo”).

    Mas não achei nada que falasse especificamente na mudança do formato da teia da aranha causada pela larva… você tem alguma referência sobre isso ?

    Estava procurando por algo feito esse vídeo, que mostra como aranhas expostas a LSD tecem teias diferentes das habituais:

    http://www.youtube.com/watch?v=sHzdsFiBbFc

  3. muriloq Says:

    :-) A piada pelo menos é boa :-)

  4. Natureza cruel « Crab Log Says:

    [...] Mistério na Teia [...]

  5. Thor Says:

    Alguém sabe que tipo de ritmo é essa música?

  6. Marcelo Says:

    Eu trabalho com interações entre aranhas e vespas. Essa interação descrita na música não envolve vespas da família Pompilidae e sim da família Ichneumonidae (grupo de gêneros Polysphincta). Você encontrará mais informações e referências no site do HYMPAR SUDESTE (http://www.hympar.ufscar.br/)
    att
    Marcelo

  7. muriloq Says:

    Caramba, que bacana, Marcelo! Muitíssimo obrigado pelas correções e pelo link, achei sensacional. :-)

Leave a Reply