Posts Tagged ‘1920s’

De onde veio o Dancing Demon!

Wednesday, June 30th, 2010

Dancing Demon é um programa escrito em 1980 para a linha de computadores (há muito extinta!) TRS-80. Clones nacionais do TRS-80 foram muito populares nos anos 1980 no Brasil; o mais famoso deles com certeza foi o CP-500, que era para uso profissional e justamente por isso bastante parrudo.

Propaganda do PROLOGICA CP-500

Propaganda do PROLOGICA CP-500

Usando o programa o usuário pode compor uma melodia simples, que é tocada pelo computador enquanto se exibe uma animação de coreografia de sapateado por um capetinha.

A coreografia também é customizável pelo usuário, e o resultado final, impressionante para a época, desperta alguma simpatia até hoje, como a gente pode ver nesse vídeo do original para TRS-80:

A versão de que mais gosto, particularmente, é um porte não-oficial para TRS-Color (a.k.a. CoCo), que eu costumava usar no meu CP-400 lá por volta de 1986:

Tela de abertura do Dancing Demon de TRS-Color

Tela de abertura do Dancing Demon de TRS-Color

Há algumas semanas o Kelly (que aliás foi quem reencontrou o Em Busca dos Tesouros!) portou o Dancing Demon para o ZX-81 (com direito a música via um processador de som instalado internamente por ele num TK-85, e a carga rápida a partir de fita cassete usando o OTLA), e ficou muito bacana:

Aproveitando o assunto, o Kelly também postou o manual do Dancing Demon original.

Como definir novas melodias e coreografias para o capetinha não é lá muito fácil, então a lembrança mais forte de quase todo mundo é da música exemplo que vem com o programa.

Lendo esse manual eu descobri que a música original do programa se chama “Ain’t She Sweet”, e é de 1927!

E, para completar, uma gravação da época, com direito às letras da música e uma coreografia que lembra muito o Dancing Demon original:

Depois dessa volta toda o que achei mais curioso é como teria sido difícil descobrir essas coisas alguns anos atrás… Apesar de conhecer o Dancing Demon desde os anos 1980 eu nunca tinha visto o manual dele, e mesmo se soubesse o nome da música conseguir uma gravação de época dela antes do Youtube seria quase impossível.

Como diz o Ricbit, “eu adoro viver no futuro”. :-)